Loira Casada e suas Aventuras

Este não é um conto erótico! Esta é uma experiência real.

Sou uma mulher casada, vaidosa, gosto de me cuidar, estar bem com meu corpo, frequento academia e apesar da idade, tenho 33 anos, chamo um pouco a atenção, principalmente por causa da minha bunda. Tenho um rosto bonito, tenho 1,68 de altura, 63 kilos, cabelos lisos, olhos castanhos, coxas grossas, seios médios e durinhos, bunda arrebitada, grande e empinada ( 113 cm de quadril ), e corpo sempre todo lisinho.

Recebo algumas mensagens através das experiências que eu relato aqui, e acho muito legal poder ter esse contato com os leitores. Então se você quer escrever, perguntar, elogiar ou fazer críticas fique à vontade, prometo responder.

Tenho um casamento agradável, um marido que me dá carinho e uma estabilidade financeira legal, ele é divertido, brincalhão com todos, e super comprometido com seu trabalho. Ele é advogado, funcionário público federal e também tem um escritório particular em sociedade. Como todo casamento, temos nossas diferenças, o nosso é o sexo, eu gosto demais e ele de menos, pois isso mantenho de forma discreta e sigilosa a algum tempo, amizades fora do casamento, isso por que eu gosto de sexo, por que eu gosto de homem que saiba dar prazer a uma fêmea Gulosa e Fogosa como eu.

Confesso que tem sido muito “gostoso” conhecer homens que sabem dar prazer de verdade a uma mulher. Exímios comedores, incrivelmente criativos, deliciosamente viris.

Atualmente mantenho 2 amizades. São 2 rapazes do sexlog com quem saio pelo menos uma vez na semana separadamente.

Ano passado, no mês de meu aniversário um desses amigos quis comemorar comigo. Como meu marido tinha um compromisso na semana que eu faria aniversário com um grupo de amigos do trabalho dele e eu não queria ir, disse a ele que sairia com uma pessoa, e ele não se importou.

Meu amigo disse que iriamos pegar um sol pela manhã em um clube e depois iriamos a outro lugar. Encontrei com ele no centro de Taguatinga às 09:30 hs e de lá fomos para o clube Crespom. André tem 38 anos, é solteiro, policial militar, moreno, alto, corpo forte sem ser sarado, coxas fortes e grossas que eu amo beijar e lamber, além de 21 cm de pura carne morena.

No caminho ele me deu o primeiro presente, um biquíni fio dental minúsculo, azul clarinho, ousado, do tipo que eu gosto, mas que uso só em viagens para fora de Brasília. Ele disse que me queria bem gostosa para os militares do clube babarem.

Assim que chegamos, ele desceu para ficarmos no gramado próximos ao lago, e eu fui colocar meu presente. Ficou bonito e sensual, percebi isso no caminho até onde André estava, pois os homens me comiam com os olhos e as mulheres me fuzilavam. André me recebeu com um beijo na boca, dizendo que eu estava linda, já havia colocado a canga na grama para que eu pudesse deitar e pegar um bronze.

Ele me ajudou a passar óleo bronzeador no corpo e eu me deitei de barriga para cima. Ele ficou deitado em uma esteira ao meu lado trajando uma sunga também azul e exibindo suas pernas e o volume que me encanta. Bebíamos vodka com energético, conversamos animadamente,

André é um homem educado, gentil e extremamente extrovertido, e isso também me atrai, fomos à piscina umas 2 vezes para nos refrescar, íamos de mãos dadas como namorados, os homens olhando de rabo de olho, alguns o conheciam e o cumprimentavam.

Depois voltávamos, eu repassava o óleo e me deitava. Houve uma hora que eu estava deitada de bruços, um chapéu no rosto, e escutei quando alguns amigos deles o cumprimentaram e passaram a conversar com ele. Eu não me levantei, fiquei ali deitadinha, bunda pra cima, e sabia que aquilo mexia com ele, com os seus amigos e também comigo, pois gosto desses joguinhos de provocação e sedução.

Eles ficaram um bom tempo ali, eu queria trocar de posição, então fui me colocando de joelhos devagar, ficando de quatro em cima da canga, e depois me levantei, dei um oi pra eles, dei um beijo no meu namoradinho e disse a ele que iria tomar uma ducha.

Fui devagar, sabendo que estava sendo comida com os olhos. Ao retornar eles ainda estavam lá, voltei a deitar na canga, agora de barriga pra cima, e com o chapéu no rosto, eles deviam estar gostando da visão, pois ficaram ali por volta de 1 hora mais ou menos.

Depois que saíram André disse que eles quase enfartaram quando eu me curvei e fui tomar uma ducha. Queriam saber que eu era, e ele disse a eles que era uma namoradinha de fora do DF que tinha ido passar o fim de semana com ele.

Amei a brincadeira. Ficamos no clube até umas 14:00 hs e depois fomos embora. André então me deu mais um presente, um vestidinho super curtinho, um rosa semi transparente e uma calcinha fio dental branca. Tomei um banho no vestiário, e coloquei o vestidinho e a calcinha.

Ele me aguardava para ir para o estacionamento, me deu um beijo gostoso e fomos para o carro. Fomos a um restaurante na asa norte comer algo, eu pedi uma salada e ele um peixe, algo leve e saudável para ambos. Bebemos um pouco mais e por volta de umas 16:30 hs chegamos em sua casa no Jardim Botânico, onde ele mora em um condomínio.

Assim que chegamos, guardamos as coisas e fomos para seu quarto, fomos tomar um banho juntos, amo estar debaixo do chuveiro com um macho safado, pois sei que voou ser bolinada e assim foi, a água banhava nossos corpos, nos beijávamos e André bolinava inteira, sugava meus seios esfregava o pau em minha bunda e dedilhava meu clitóris.

Terminamos o banho e fomos para a cama do jeito que estávamos, molhados. Com seu jeito dominador André me colocou de quatro na cama com o tórax baixo na cama e a bunda arrebitada, e meteu a língua em meu cuzinho vorazmente.

Sua língua deslizava na minha buceta e ia à minha bunda num ritmo frenético e gostoso. Eu mordia o lençol tamanho tesão eu sentia, eu rebolava em sua boca, pedindo para ele me comer toda.

Tive então meu primeiro orgasmo gemendo alto, quase gritando enquanto ele lambia meu mel. Girei o corpo e ele continuou me chupando, eu deitada com as pernas abertas e dobradas, e André me lambendo, eu pedia:

– Deixa eu te chupar André, me dá seu pau por favor, quero essa vara na minha boca.

Mas ele não me escutava e lambia minhas pernas, ia até meus pés lambendo-os também, e depois subia por minhas coxas até voltar à minha bucetinha lisinha e cheia de tesão. Sua língua entrava em mim me fodendo gostoso, meus gemidos eram altos, e não demorou muito para eu gozar novamente, e foi mais um orgasmo intenso, longo e cheio de tesão.

Quando eu pensei que iria enfim chupar aquele pau escuro, André deita da cama, me puxa pra cima dele, me coloca sentada em seu rosto e continua a me castigar com sua língua, fiz menção de me debruçar para chupar seu pau que estava duro como pedra, a cabeça brilhando de tão molhada, apontado pra cima, só me esperando, mas meu macho segurou meu corpo e disse que eu não só colocaria o pau na boca depois que ele comece minha bunda, e que isso seria na hora que eu desejasse, bastava eu pedir.

Meus encontros com André acontecem a cada 15 dias, e nem sempre faço anal, pois gosto de provocar meus machos, eu já não o via a quase 20 dias desde nosso último encontro e acho que ele estava querendo me castigar, e estava conseguindo. Eu voltei a pedir:

– André, deixa eu mamar essa pica, deixo você gozar gostoso na minha boca, socando ele inteiro na minha garganta.

Minhas palavras não surtiam efeito, pois ele me sugava, me lambia, me chupava sem parar, suas mãos brincavam com meus seios, e sua língua que parecia ter vida, entrava e saía de dentro de mim, eu rebolava em sua boca, tentava segurar sua pica pra sentir pulsar na minha mão, mas ele não permitia. Eu já não me aguentava mais, quase 1 hora sendo chupada, sem poder chupar também, então pedi quase implorando:

– Come meu rabo André, vai, mete essa vara negra na minha bunda, faz o que você quiser comigo vai, não tô aguentando mais.

Ele rapidamente me colocou novamente de quatro na cama, colocou uma camisinha, pincelou o pau no meu cuzinho que estava ensopado e foi empurrando devagar, eu estava tão molhada e relaxada, que só senti prazer, mesmo seu pau sendo grande e grosso. Ele me deixou em um estado avançado de excitação, que dar a bunda era o que eu mais queria naquele momento. André enrolou meus cabelos em sua mão com se fossem rédeas e passou a meter com força em mim, me xingando:

– Toma sua puta, sua piranha, sente minha vara nesse rabo grande e gostoso que você tem, sente ele todo dentro de você pois tenho certeza que seu marido não te come direito.

André comia com violência, batia na minha bunda, segurava em minha cintura e fazia o pau ir e voltar com força. Deitamos sem o pau sair de dentro de mim, e ele me enrabou de ladinho, eu queria mais e mais, ele mexia em meus seios, colocava e tirava o pau em mim. Eu tentava fazer ele sentir prazer, pois queria beber sua porra. Giramos então nossos corpos, fui pra cima dele e passei a cavalgar aquele tora escura, eu subia e descia com o pau na bunda, ele passou a dar tapas em meu rosto, dizendo:

– Vai cadela, senta no meu pau, coloca ele toda nessa bunda sua gostosa, puta, vadia.

Aquilo só me excitava mais, como estava gostoso dar a bunda pro André. Eu quicava em sua vara, e o contato do meu grelinho com a pele dele enquanto eu subia e descia fez com que eu tivesse um dos orgasmos mais gostosos que já tive. Gozei com o pau de Andre em meu rabo, ele todo dentro de mim, meu corpo tremia, suava. Após me refazer, saí da cama e me ajoelhei em uma poltrona em seu quarto, me arrebitando toda pra ele, que veio como um lobo e meteu a vara novamente em minha bunda, mas dessa vez ele estava mais eufórico, eu percebia que ele estava maluco de tesão, eu rebolava pra provocar ainda mais, eu queria leite, queria porra. André meteu muito em mim nessa posição, e acho que ele me enrabou por mais de 1 hora, até que não suportou mais, me fez ajoelhar em sua frente, arrancou a camisinha, segurou minha cabeça, e passou a punhetar o pau na minha cara e sem demora despejou uma enorme quantidade de porra na minha cara, e na minha boca, fiquei banhada de leite, com ele batendo o pau na minha cara, mandando eu limpar todinho, pois puta tem que deixar o pau do macho sem nenhuma gota de porra, e assim eu obedeci. Ficamos um tempo deitados na cama para repor as energias. Depois fomos tomar outro banho gostoso juntos.

Voltamos para a cama e continuamos a fazer sexo com muita sacanagem, chupei muito o pau dele, e ele me comeu de todas as formas naquele quarto. Mas a primeira seção com ele me chupando, depois me enrabando e eu gozando com o pau dele em minha bunda ainda me fazem ficar arrepiada. Ficamos juntos até as 22:00 hs da noite e depois ele me deixou em casa. Cheguei exausta, mas saciada de prazer.

Bem, espero que tenham gostado, vou tentar voltar a postar outras experiências.

Continuo com minha tara por sexo oral, amando chupar grandes e belos cacetes, agora com a permissão do marido.

 


Veja também estes Contos Eróticos


Melhore sua performance!
Melhore sua performance!

 


Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!

Convido você a visitar nossa página no FACEBOOK e nos acompanhar através do INSTAGRAM.

Diariamente muitas novidades para você!

Gostaria de conhecer nossa Loja Virtual e nossas sugestões de produtos?

Pode acessar por aqui  www.suaveluxuriasexshop.com.br

Entre em contato conosco por um destes números: (61) 98195.1561 Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.

suaveluxuria

Sexy Shop grande variedade de Produtos Eróticos, melhores preços! Compre Vibrador, Plug, e tudo para o Sexo Anal! Discrição e Sigilo. Sexshop!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: